Home » Impotência Feminina » Impotência Sexual Feminina – Como tratar?
Impotência Sexual Feminina - Como tratar?

Impotência Sexual Feminina – Como tratar?

Impotência Sexual Feminina - Como tratar?

Ainda que não tão popularizada nem tão comum quanto a masculina, a impotência sexual feminina constitui um problema verdadeiramente recorrente entre as Mulheres. Esta disfunção sexual contribui, quase sempre, para exercer um impacto extremamente negativo na estabilidade psicológica de uma mulher, que ao padecer de uma doença desta natureza pode acabar por ver a sua vida amorosa seriamente afectada. Em certos aspectos, a impotência sexual feminina pode revelar-se um pouco mais complexa do que a masculina, dificultando assim todo o processo de diagnóstico.

O que é a impotência sexual feminina?

A impotência sexual feminina caracteriza-se pela perda de capacidade de retirar prazer do acto sexual. Esta complicação pode verificar-se em qualquer uma das fases do ciclo de resposta sexual, seja ela a fase do desejo, da excitação ou do orgasmo.

Dependendo da severidade do problema, a mulher poderá experienciar dificuldade em apenas numa dessas fases, ou até mesmo em todas, dependendo muito dos principais factores potenciadores da sua disfunção sexual. Há mulheres que, simplesmente, não conseguem desenvolver desejo sexual, enquanto outras não retiram prazer do acto, ou simplesmente não conseguem alcançar o orgasmo. Isto, tanto pode ter causas fisiológicas, quanto psicológicas, cabendo a um especialista de saúde devidamente creditado efectuar os devidos diagnósticos.

Ao contrário de um homem que sofre de disfunção eréctil, a mulher tende a manter a capacidade de levar a cabo a prática do acto, podendo, apenas, não retirar qualquer tipo de gratificação do mesmo. Assim sendo, é  frequente muitas mulheres que sofrem de impotência preservarem uma vida sexual aparentemente normal, pelo simples facto de não se sentirem confortáveis a abordar o assunto junto dos seus companheiro, acabando assim por permitir a prática, apenas com o objectivo de ocultar a existência do problema.

Esta situação pode, no entanto, dar origem a problemas físicos e psicológicos de maior dimensão, pelo que aconselha-se vivamente que, ao aperceber-se de que algo está errado, consulte de imediato o seu médico e evite forçar a prática normal do acto.

Tratamentos mais comuns

O tratamento da impotência sexual feminina deve surgir como o resultado directo de um correcto diagnóstico da origem do problema. Para isso terá de se submeter, não só a um questionário, como também a um conjunto de exames por parte do seu médico, de modo a identificar correctamente os factores responsáveis pela ocorrência da disfunção sexual.

Medicação

Um dos métodos mais recorrentes de tratamento da impotência sexual feminina é, simplesmente, através de medicação. Com base no diagnóstico, o médico receitará os medicamentos mais adequados para tratar o problema. Estes medicamentos poderão destinar-se, tanto a combater infecções vaginais, quanto a amenizar doenças responsáveis pela impotência, ou até mesmo a aumentar a libido.

Hormonas

Por vezes o desequilíbrio hormonal pode revelar-se como um dos factores de maior relevância no desenvolvimento de disfunções sexuais femininas. Em casos desta natureza, é frequente  a paciente ser instruída a tomar certas hormonas, entre elas a testosterona, que por vezes consegue surtir os resultados desejados no tratamento do problema, uma vez que apresenta a capacidade de fomentar o aumento da libido, ajudando assim na recuperação do desejo sexual em algumas mulheres. Este tratamento não é, no entanto, útil em todos os casos de impotência sexual, e não deverá ser administrado sem a supervisão atenta de um bom especialista de saúde.

Acompanhamento psicológico

O acompanhamento psicológico revelar-se-á indispensável sempre que se conclua que as causas do problema não são físicas. A terapia de casais é, também, frequentemente utilizada como forma de compreender a origem da ausência de desejo entre casais, e assim tentar encontrar uma solução viável para a mesma, de um modo que contribua, também, para preservar a integridade da relação durante esta fase tão delicada.

Alimentação e suplementos vitamínicos

Os défices nutricionais podem, directa ou indirectamente, revelar-se responsáveis por certos cenários de disfunção sexual, quer nos homens, quer nas mulheres. Nestes casos, o médico responsável deverá acompanhar a paciente no processo de adopção de uma dieta que se revele passível de combater certos problemas físicos que possam encontrar-se presentes. Suplementos vitamínicos podem, também, constituir uma alternativa, em casos em que a paciente não tenha a oportunidade de seguir uma alimentação verdadeiramente regrada, e por isso acabe por desenvolver défices nutricionais.

Verifique também

Impotência feminina

Impotência feminina – Quais são as causas

A impotência feminina ou disfunção sexual afeta cerca de 50% da população feminina portuguesa e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.